Utilizamos cookies para fins analíticos e funcionais visando melhorar sua experiência com nosso website.
Ao navegar, você concorda com nosso uso de cookies.
Fechar

COLUNISTAS | Revista MAXIMUS

Carlos Lopes

Ator, Cantor e compositor

Me chamo Carlos Eduardo de Souza Lopes. Meu talento artístico foi descoberto pela minha mãe quando eu tinha apenas 12 anos de idade, cantando pela casa enquanto brincava. Nasci e fui criado em Campo Grande, bairro da zona Oeste aqui do Rio, sempre morei com meus pais e irmãos. Nasci em 20 de novembro de 1982, esse ano completo 40 anos de idade. 

Meu sonho é ser reconhecido como um grande artista, tanto na área de atuação como na área da música. Minha mãe, "Irene" que me apoiava nessa área artistica. Aos 17 anos, consegui fazer a minha primeira aula de canto e foi também nessa época que iniciei meu curso de teatro. Na minha infância, fui influenciado por grandes nomes da música sertaneja, e, nessa época, os mais famosos eram Leandro & Leonardo, Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó, João Paulo & Daniel e outros. Ao me apresentar nas noites dos bares de Campo Grande, festas e eventos, mantive um repertório eclético para agradar os mais variados públicos, desde sertanejo, pop, MPB, rock, e até me arrisquei também em pagode e funk em raros momentos. Comecei a cantar profissionalmente com 22 anos de idade, na época no coral da igreja. Nesse tempo eu perdi minha grande amiga e apoiadora, minha mãe, que faleceu em 2012, vítima de câncer de mama. Foi um momento muito delicado fiquei um bom tempo afastado da área artista, afinal na época ela quem cuidava da minha carreira.

 

Trabalhei por alguns anos como Auxiliar administrativo de uma loja de informática. Além da área artística, fiz outros cursos como administração e informática, pois, após terminar o segundo grau, não tive condições de fazer uma faculdade de teatro e música. Após me recuperar do luto eu fiz parte da Cia. de Teatro Arte e Professia, onde viajamos pra Minas Gerais fazer apresentações em igreja, escolas e praças públicas pois era um grupo religioso.  Na mesma época, no meu segundo curso de teatro tive a honra de ser o protagonista da peça "O Navio Negreiro" na escola FEUC, que, por 3 anos, ganhamos prêmios pelo espetáculo. Foi um momento muito especial de onde tirei inspiração pra vários outros personagens e, nessa mesma época, participei de vários campeonatos artístico, no próprio teatro e na música. Tenho 2 títulos de primeiro lugar: um de teatro e outro de um dos festival de música. Em 2015, fui convidado pelo cantor baiano Juninho Camacan para participar do show de lançamento do seu primeiro trabalho. A apresentação foi na Feira de São Cristóvão aqui no Rio.

Em 2017, gravei meu primeiro trabalho solo. O EP "Minhas Versões Vol.1" foi um projeto de músicas americanas que regravei a título de cover, porém traduzidas para o português, sem fins lucrativos, apenas para ter algo com melhor produção como mostra de trabalho musical para as produtoras. Ainda nessa mesma época tive a oportunidade de participar de um coral. Fiz uma audição, passei e gravei o CD e DVD de um "Coral Gospel". Para aproveitar o gancho no meio gospel, fundei uma banda chamada Banda do Reino, onde gravamos 2 EPs gospeis de minha autoria, "Voar Mais Auto" e "Conquistado pelo Seu Amor". Nesse período voltei a trabalhar como Auxiliar administrativo por um tempo.

Em 2018, fiz uma participação como ator na novela da Record "O Rico e Lázaro". Nessa época, até saiu no portal R7 uma nota sobre meu EP Versões e a participação na novela. No ano seguinte fui chamado por outra participação, e dessa vez na rede Globo na novela "Deus Salve o Rei", depois tive uma rápida aparição em "A Dona do Pedaço", novela também da rede Globo. 

No final de 2019, voltei pro teatro e, nessa volta, recebi o convite da atriz e coreógrafa Giselle Motta, ex-bailarina do Faustão, para o desfile da escola de Samba da "União da Ilha". Como amo a arte e adoro desafios, fui à avenida no Carnaval de 2020.

 

Após o carnaval veio a pandemia. Durante a pandemia, eu iniciei um novo projeto musical totalmente autoral, meu EP "O Som do Nosso". Entrei em estúdio novamente, como todos os cuidados necessários contra a COVID-19. O novo projeto é destinado à diversidade de estilos musicais, com nuances de MPB, pop rock e sertanejo universitário. Fizemos algumas lives em estúdio, também com todos os cuidados necessários: a primeira em dezembro de 2020, para o lançamento do EP "O Som do Nosso Amor" e o primeiro EP "Minhas Versões Vol.1" na mesma live. Nesse período, eu já estava com novas composições e arriscamos um lançamento inédito que seria já do meu próximo EP.

Fizemos o segundo show live em Junho de 2021 para o lançamento oficial de um novo projeto, o EP "Me Fala que eu Faço", totalmente produzido durante a pandemia. Algumas músicas, inclusive, foram produzidas à distância: não tivemos contato pessoal, só por telefone para gravar e finalizar o projeto antes da live. O projeto EP "Minhas Versões Vol.2", que ainda não comecei a divulgar, está em produção. Lancei esse ano, em janeiro de 2022, o EP "Cheirando A Capim", meu terceiro projeto autoral.

Ainda no final de 2021, fui chamado pela Globo para uma rápida participação na novela "Quanto Mais Vida Melhor" e fiz meu primeiro show com banda ao vivo aberto ao público, com lotação reduzida devido aos protocolos de segurança contra a pandemia. Já neste ano de 2022, fiz meu primeiro musical no teatro Grandes Atores em Junho, "Hairspray Music", e, em novembro, vou estreiar com minha cia. de teatro o musical "Wicked". Tenho a certeza que vou alcançar minhas metas e realizar meu sonho de ser um artista reconhecido e bem sucedido.

AGRADECIMENTOS:

- Grazi Luz, diretora da cia. de teatro Faz Art Produçoes e minha produtora de elenco;
Tatty Caldeira, cantora, atriz e "minha preparadora vocal";
- Ludmilla Silveira, coreógrafa e "minha preparadora de performance em palco";
Vinicius Barcelos Pinto, empresário do escritório de contabilidade São Thomaz de Aquino;
Gisa Masser, apresentadora do programa "Eu sou mais Eu", do qual participei no início do ano e recebi o troféu na categoria Ator e Cantor;
André Lap e a Revista, pela oportunidade e o carinho com meu trabalho;

Publicado por
Revista MAXIMUS
em 03/08/2022 às 15:29

Compartilhe

Revista MAXIMUS - 2020

Flag Counter